Arquivo da categoria: tradução

Tradução do artigo espanhol: MARIA DE MEDEIROS: A DIVA além da beleza

20131205-182907.jpg

MARIA DE MEDEIROS: A DIVA além da beleza
Agora falar sobre divas do mundo do cinema é uma questão que não corresponde com a realidade de uma série de atrizes que de vez em quando estão nos cinemas graças a grandes investimentos que fluem em campanhas de marketing em curso para convencer o público de que a modelo é uma grande atriz e também é um modelo a seguir. Assim, garante um substituto quando este deixa de trazer benefícios econômicos. A fórmula é simples, não ter medo de uma câmera e, acima de tudo, ser esteticamente agradável.
Pola Neri, Mae West, Jean Harlow, Bette Davis ou Theda Bara eram divas do cinema, por muitas razões, incluindo a beleza de cada uma dessas atrizes, mas isso aos seus corpos e rostos não são limitadas. Tinha um sorriso, um gesto, um tom e uma sensualidade sem explicação que fazia com que fossem admiradas por todos.
A beleza física em filmes é algo que é agora tão prevalente que é difícil imaginar uma protagonista de um filme que não brilha por seu físico. Para ser diva deve ir mais longe.
O povo Português, orgulhosos da sua terra, enquanto os admiradores mais distantes, exaltam sua própria diva, que os representa, conduz o povo de Portugal, em todas as suas obras. Maria de Medeiros nasceu em Lisboa em 1965, com os pais, cujo trabalho é relacionado a diversos ramos da arte, demorou pouco tempo penetra no mundo da criação cultural.
Ainda criança, ela viajou para a Áustria, onde permaneceu por alguns anos até a eclosão da Revolução dos Cravos 25 de abril de 1974 e a ditadura de Antonio de Oliveira Salazar chegou ao fim. Nestes anos, os movimentos migratórios da Península Ibérica à França, Alemanha e Suíça foram bastante comum, este foi o caminho percorrido por Maria de Medeiros e sua família, cujo destino era Paris. Iniciou seus estudos em filosofia na Sorbonne, que ela deixou para estudar teatro e uma licenciatura em uma das escolas mais reconhecidas no país e no mundo, a escola nacional de estudos superiores de artes e teatro.
Ela tem sido ativa desde o início dos anos 80 e tem a seu crédito mais de 50 produções distribuídas em longas-metragens, curtas-metragens e produções televisivas. Sua obra não se limita à interpretação, mas também diretora, produtora e cantora diplomada no Conservatório Nacional de Artes, em Paris.
Versátil e internacional. Ela já trabalhou para grandes diretores de vários países diferentes começando com seu papel em A Divina comédia de Manoel de Oliveira, de Pulp Fiction, de Quentin Tarantino ou ovos de ouro, dirigido pelo falecido José Juan Bigas Luna. Seguramente, esses diretores tinham atrizes em sua agenda com a estética mais impressionante do que a de Maria de Medeiros, mas ela ia ser uma diva, eles sabiam disso. Ela pode falar Português, Espanhol, Inglês ou Francês fluentemente, ela pode até aprender um script em russo com apenas uma semana de espaço para isso. Sua expressão facial é tão clara quanto enigmática, proporcionando uma aura mística para qualquer plano. Devemos acrescentar que também faz música para contribuir para a obra audiovisual se o diretor pensa assim conveniente, de modo que o leque de possibilidades oferecidas são profissionais de beleza que nem aqui nem apenas a única que pode.
Amante de todas as artes, sempre tenta conjuga-las contexto o permitir, daqui em Pássaros Eternos, o seu mais recente álbum, cada música é acompanhada por uma ilustração de outros autores. Neste LP tem canções em diferentes idiomas, e ela gosta de aprender outras línguas para enriquecer seu potencial como atriz.
“Eu não gosto da idéia de um filme homogêneo, eu gosto da diversidade em todos os sentidos”
Maria de Medeiros
Embora reconhece abertamente sua grande admiração e estima para a França, Portugal e ela ama algo que mostra quando tem tempo. Compreende a cultura Portuguesa, apesar de não ter crescido na mesma como a maioria dos Português, sabe que ela conseguiu fazer com que sua vida sem abandonar os fóruns “deles” e assumiu a responsabilidade de “embaixadora portuguesa” sem medo. Para eles, é normal ver Maria de Medeiros nas muitas manifestações nos últimos anos estão acontecendo em Portugal (como no resto do mundo ocidental), devido à crise econômica. Todo mundo está ciente de que os problemas econômicos do artista são mínimos, mas a sua grandeza reside na solidariedade e proximidade com aqueles que são orgulhosos dela. A beleza de Maria de Medeiros está no interior de todas as portuguesas.
“Eu não vejo nenhuma possibilidade de repor a economia vai se as pessoas não têm, apenas para obter dinheiro na máquina econômica.”
Maria de Medeiros
Seu compromisso social não é apenas em entrevistas, está presente em muitas de suas obras, especialmente onde dirige Capitães Abril é um exemplo, onde os acontecimentos da revolução portuguesa que acabaria com a ditadura de Salazar está bem outros projectos em que o protesto é o elemento principal. Riparo é outro exemplo de seu compromisso com o povo, neste caso com o brasileiro. Para fazer com que este filme não só se comprometeu a informar a situação das famílias pobres durante a ditadura (República Federativa do Brasil) na década de 70, mas ela morava com a família no protagonista história.
“A obra de arte e cultura ajuda a ter uma força moral muito importante, pois não temos dinheiro, você não precisa levar-nos que moral.”
Maria de Medeiros
Diversidade, conjunção e compromisso, o verdadeiro significado da cultura como enriquecimento e não como uma fronteira, que é a beleza desta atriz que continuam a encantar os espectadores que procuram crescer socialmente e pessoalmente com um dos ícones da cultura em geral, e português como um povo.
Pedro Possebon
Texto original: http://www.apartemagazine.es/2013/05/divas/

20131205-182936.jpg